'Biombo para criminosos'

O ministro-chefe da Controladoria Geral da União, Jorge Hage disse para o jornal Folha de S.Paulo que "[os sigilos bancário, fiscal e comercial] foram criados para a proteção da privacidade da pessoa de bem, mas hoje funcionam como biombos para os criminosos". Pelo raciocínio inteligente do sr. Hage, todos aqueles que invocam o direito à privacidade em tais transações seriam, a princípio, criminosos. E se isso não fosse o bastante, ele também diz que "[n]ão pode ser a pretexto do risco de abuso que se dificulte a apuração dos crimes. Vivemos no Brasil um problema oposto, a transformação em tabu da noção de sigilo bancário e fiscal para fins de investigação." Como se houvesse muita privacidade bancária no Brasil mesmo, basta ler a Lei Complementar 105/2001.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como clonar digitais

Digitais falsas

E continua a disCUssão® sobre o Cadastro Único, agora com o nome de Registro Civil Nacional