Enccla attacks... yet again!

O Advogado-Geral da União, Jose Antonio Toffoli (que conseguiu os cargos graças ao fato do mesmo ser um membro do PT desde 1995), está mancomunando com a Polícia Federal, TCU e outros da turma do Enccla (Encontro Nacional de Combate à Privacidade, ou, informalmente conhecido como Estratégia Nacional de Combate à Lavagem de Dinheiro e Recuperação de Ativos) um "parecer" para aumentar os já abusivos poderes de violação de privacidade que o desgoverno federal possui.

O "parecer" permitiria a qualquer burocrata de plantão acesse dados cadastrais em órgãos do governo e concessionárias de serviços públicos sem uma ordem judicial. O absurdo "parecer" chegaria ao ultrajante acesso direto a dados protegidos por sigilo fiscal. Isso mesmo, um procuradorzinho poderia devassar teu imposto de renda sem mandado judicial, basta apenas ele ter a vontade, seja por motivos legítimos, seja pelo fato do vibrador do "doutor" ter falhado na noite imediatamente anterior à devassa.

Apesar dos absurdos propostos por Toffoli, a frase mais medonha foi dita pelo Procurador-Geral da República, Antonio Fernando de Souza, que disse:

“A proteção que a Constituição confere à intimidade e ao sigilo não pode acobertar crimes. O cidadão de bem não precisa de sigilo.” (grifo meu)
Isso! O sr. Eu-Não-Sei-Quem-É-O-Maior-Beneficiário-do-Mensalão acaba de revogar o artigo 5º da Constituição federal. A sentença de Souza é tão fora-da-caixinha, tão ultrajante que mesmo a Receita Federal teve que fazer de conta que tem algum apreço à privacidade alheia ao dizer que "[t]eme o vazamento das informações."

Curiosamente, ninguém sabe até hoje o que essa tal de Enccla já trouxe de benefícios para o Brasil.

P.S.: Toffoli disse:
“A Enclla (sic) traz uma mudança de mentalidade, imprimindo ao combate à corrupção e à lavagem de dinheiro prioridade sobre disputas internas de vaidade e de poder. Não se trata de uma olimpíada ou campeonato, temos de trabalhar em solidariedade, pois o patrão de cada poder aqui presente é um só - o povo brasileiro”
Pois que vos digo: estais todos demitidos. Se é para vos pagar para tenhais idéias de jerico, eu, então, tenho melhores formas de gastar dinheiro sem violentar a privacidade alheia.

Comentários

Anônimo disse…
Nada comparado com a barbaridades propostas no seu blog, mas apenas um exemplo da total falta de consideração das instituições financeiras com os dados de seus clientes.

O Banco Real lançou uma promoção para seus cartões de crédito. A cada R$50 reais gastos, o correntista ganha um cupom que concorre a um sorteio mensal. Excelente, só que eles fornecem pelo website o seu total de cupons acumulados, sem qualquer autenticação do usuário. Basta o número do CPF do correntista.

Com a vulgarização completa do CPF, isto equivale a publicar para qualquer "interessado" o seu total mensal de gastos com o cartão de crédito.

Aqui está o website:

https://www.promocaoganhaganhaganha.com.br/
Rodrigo disse…
Este tipo de informação só deveria estar disponível no Real Internet Banking.

Postagens mais visitadas deste blog

Como clonar digitais

Digitais falsas

E continua a disCUssão® sobre o Cadastro Único, agora com o nome de Registro Civil Nacional