@governo_rs de @tarsogenro confirma que monitorar o que tu compras. @mikibreier e sua comissão nada falam.

No dia 5 de maio de 2012, eu postei a informação que o governo do estado do Rio Grande do Sul quer implementar um programa de teste de nota fiscal eletrônica no comércio, o que acabaria com a possibilidade de comprar anonimamente no RS. Hoje eu recebi uma resposta, bem preocupante, a um pedido de informação, que coloco abaixo:
PREZADO CIDADÃO:
 Em resposta à sua solicitação, conforme detalhado abaixo, comunicamos o retorno a seguir:
 DEMANDA
Assunto
Nota Fiscal Eletrônica no Comércio
Número
000 000 171
Descrição
 Tenho alguns questionamentos sobre o programa citado no assunto e elenco-os abaixo: 
DEMANDANTE
Pessoa
Rodrigo Veleda
Telefone
E-mail
Endereço
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
 RESPOSTA
 
- Qual a fundamentação legal do programa?
Instrução Normativa DRP 45/98, Título I, Capítulo XI, Seção 20.5.
Acesse a Instrução Normativa DRP 45/098 no link ao lado: IN 45/98
- As empresas são obrigadas a participar?
Não. É por adesão ao Projeto Piloto.
- Qual o critério de escolha das empresas participantes?
Limitado a uma empresa em cada ramo de interesse do Projeto Piloto.
- Que tipo de informações do comprador são coletadas?
As exigidas para identificação do destinatário na emissão da NF-e (nome, CPF, endereço)
- É possível o comprador comprar sem se identificar?
Não.
- Por quanto tempo as informações são armazenadas?
Pelo prazo fixado na legislação tributária para a guarda de qualquer documentação fiscal.
Sim, eles confirmaram que acabará o atual anonimato nas compras. Por outro lado, ninguém, por enquanto é obrigado a participar. E por fim, é um projeto piloto, não se sabe os resultados. Bom, eu suplementei o pedido de informação hoje:
Existe o Projeto Piloto em forma impressa? Se sim, gostaria de receber uma cópia por e-mail. No que tange a privacidade, o que foi discutido? Houve alguma discussão sobre a possibilidade de compra no tal Projeto Piloto sem informar CPF, nome e endereço? Foi discutido o impacto às vendas feitas para pessoas que não estão no CPF como turistas ou mesmo pessoas que não possuem qualquer tipo de documentos ou endereço?
Espero a resposta.

P.S.: Para variar, nem a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, nem seu presidente, Miki Breier, responderam meu e-mail sobre o tema:
Edito o blog Não Sou Um Número, um blog dedicado à privacidade, e gostaria de saber a posição desta comissão sobre os possíveis impactos na privacidade dos gaúchos com o programa de nota fiscal eletrônica no comércio. Também gostaria de saber por que a privacidade nunca entrou na pauta de discussão desta comissão, sabendo que tal é um direito humano.

Comentários

Lucho disse…
Rodrigo, você se esqueceu que direitos humanos só servem no Brasil (e porque não dizer, no mundo) apenas para defender bandido?

Postagens mais visitadas deste blog

Como clonar digitais

Digitais falsas

E continua a disCUssão® sobre o Cadastro Único, agora com o nome de Registro Civil Nacional