Pular para o conteúdo principal

Olha quem voltou! A p&rra dos rastreadores de veículos!

O Pioneiro de hoje reporta que o Conselho Nacional de Trânsito exigirá que 20% dos carros novos produzidos no Brasil tenham instalados um dispositivo de rastreamento, chegando a 100% dos carros novos em 2013. Tal exigência é fruto da Deliberação 128/2012, que charmosamente foi editado no dia do meu aniversário. Dieses Geburtstagsgeschenk gefällt mir nicht! Para tu teres noção do perigo da coisa, até o Ministério Público Federal de São Paulo acionou judicialmente (Ação Civil Pública 200961000070330, andamento no TRF) contra estas medonhices violadoras de privacidade. Agora, o treco tem nome: Simrav - Sistema Integrado de Monitoramento e Registro Automático de Veículos. Favor não confundir com Siniav, outro treco saído do Ministerium für Staatssicherheit.

De acordo com Pioneiro:
Vale lembrar que nada disso poderá ser feito se a opção for por não contratar uma prestadora. Nesse caso, o rastreador permanece no veículo, sem emitir dados de localização – apenas um sinal diário para uma central do Denatran, explica Segali. Também não existe possibilidade de remoção do rastreador.

– Se o sistema for violado, o carro para – afirma Segali, garantindo que esse modelo de rastreamento para fins de segurança é inédito no mundo.
Que sinal diário é este? Urge lembrar que nem a Lei Complementar 121/2006, nem a Resolução 245/2007 ou a já citada Deliberação 128/2012 fala do tal sinal diário. Aliás, que tipo de informações o tal sinal diário enviará? Quem terá acesso a este sinal? Este sinal será identificado? Muitas questões, nenhuma resposta! E de brinde, se tu tentares violar o tal sistema, teu carro não anda. Então, é correto dizer que tal modelo é inédito no mundo: primeiro, nenhum país do mundo obriga seus cidadões a usar um rastreador mandando sinais de localização sabe se lá para quem e nenhum país do mundo impede seus cidadãos de usarem carros se eles não estão a dizer onde seus motoristas estão. Para quem quiser saber o que o Simrav vai saber, lê as especificações das mensagens.

E sabes quanto custará esta brincadeirinha por carro? Cerca de R$ 1.000. Sim, violar a tua privacidade custa caro. Sem contar o custo mensal para tu seres rastreado. E como noticia o Diário Popular:
Porém, alguns especialistas na área de segurança automotiva acreditam que o chip não deve ser ativado pela maior parte dos condutores locais, o que torna inútil a presença do equipamento como item de série.
Pois é, tu não usarás, mas tu pagarás de qualquer jeito. Gostei do termo "inútil", totalmente apropriado. E procurando na Internet, achei duas apresentações sobre o tema. Uma é dum cidadão que presumo ser ligado ao Denatran. A dita pessoa usa dois slides para falar de privacidade num total de 28 slides. É aquele papinho básico de "ativação opcional", chaves criptográficas (como se a emergência de tal sistema não fosse atiçar os ânimos para quebrar tais chaves) ou "[n]ão é possível o acesso às informações do veículo sem a comprovada autorização do proprietário do mesmo" (o que se entende como "comprovada autorização do proprietário" eu não sei). A outra apresentação foi feita no Fórum de Logística Nacional. Ele repete os mesmos argumentos da apresentação supracitada. O interessante da segunda apresentação foi a resposta à seguinte pergunta:
O Projeto Simrav, no seu formato atual não foi suficientemente debatido pela sociedade civil, a qual tem ainda muitas dúvidas quanto aos itens privacidade, confidencialidade e sigilo dos dados monitorados. As informações disponibilizadas até aqui não esclarecem suficientemente os cidadãos, motivo pelo qual, o projeto ainda não conquistou a aprovação da opinião pública.
100% concordam totalmente com isto! E este é o Simrav. Boa noite, embora o Simrav me dê pesadelos.

E como brinde, a segurança dos dados pessoais por parte do governo é algo disponível em bancas!

Comentários

Sara disse…
A coisa realmente grande que não só irá ajudar a evitar alguns tipos de acidentes, mas também é provável que ajudam a melhorar outras coisas, tais como a delivery pela internet
Celebridades disse…
Os rastreadores de veículos parece que vão ser obrigatórios em 2014, os carros vão ter que sair de fábrica agora, até a nova empresa, Bbom esta vindo com força total, existem até afiliados ou melhor, rede de divulgadores www.vendasbbom.com.br.
Lucho disse…
Fabricantes de rastreadores e seguradoras (Zurich, Porto Seguro, Mapfre, Bradesco Seguros, Itaú Seguros e etc) devem estar com um sorriso de orelha a orelha com essa resolução do CONTRAN.

E desgraça pouca é bobagem. Não basta essa aberração ser obrigatória em 2014. Ainda por cima aparece aberrações como o zumbi de cima divulgando mais esse novo esquema de pirâmide.

"E como brinde, a segurança dos dados pessoais por parte do governo é algo disponível em bancas!"

Foi como eu disse anteriormente. Para que hackers e crackers se temos o governo.

Postagens mais visitadas deste blog

Como clonar digitais

Recordar é viver. Em 18 de abril de 2008, eu mostrei como clonar impressões digitais, usando materiais extremamente sofisticados como cola de madeira, SuperBonder, câmera fotográfica papel de slide e impressora a laser (tipo de coisa que só gente com muito dinheiro e contatos conseegue ter). Como o link anterior quebrou, resolvi republicar esta matéria. Alguém por favor mande isto para o sr. Ricardo Lewandowski!

Para quem ainda tem alguma ponta de confiança na biometria, traduzo um guia prático de como fazer impressões digitais de outros para ti.
Como falsificar digitais?
Starbug no Chaos Computer Club

Para falsificar uma impressão digital é necessário uma primeiro. Digitais latentes nada mais são do que gordura e suor em objetos tocados. Desta forma, para capturar a impressão digital de alguém (neste caso, a que tu queres copiar), deve-se utilizar métodos forenses, o que será explicado aqui. (Foto 1)


Foto 1: Resíduo gorduroso duma digital

Boas fontes de impressões digitais são vidros…

Digitais falsas

Os Zé Cadastros que povoam o Brasil adoram afirmar a "confiabilidade" da identificação de pessoas por meio de impressões digitais, como, por exemplo, este texto do Instituto Nacional de Identificação da Polícia Federal:

O sistema datiloscópico é o método mais prático e seguro de identificação humana, razão por que tem sido largamente utilizado, desde a sua descoberta até os dias atuais, na área civil e criminal.

A identificação humana através das impressões digitais, é sem sombra de dúvida, a maneira pela qual pode-se afirmar ou negar a identidade de uma pessoa.Método mais prático e seguro? Eu não sabia que, agora, um sistema com uma taxa de falso-negativo de 15% seja prático e seguro. E também não sabia que a "identificação humana através das impressões digitais" seria a única maneira de afirmar ou negar a identidade de uma pessoa, ainda mais considerando que a universalidade (quão comum é entre as pessoas) das impressões digitais é considerada média. Além disso, de…

Venda de senhas do Infoseg

50 pessoas foram presas em todo o Brasil acusadas de venderem senhas de acesso para o Infoseg, uma rede de informações criminais mantidas pelo Ministério da Justiça. Desde abril, a Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, que mantém o sistema, já cancelou 5 mil senhas.
A operação deu-se nos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul (uma tradição gaúcha), Goiás, Santa Catarina e Paraíba. Aí, o Secretário Nacional de Segurança Pública Ricardo Balestreri solta uma fenomenal: Não podemos deixar que a intimidades das pessoas seja devassadasNão terei o trabalho de comentar os erros de português mas a frase do secretário não pode ser mais ridícula uma vez que não corresponde à realidade dos fatos, onde a intimidade das pessoas são violadas diariamente simplesmente, por exemplo, estarem inscritas no CPF do Ministério da Fazenda, que alimenta dados para o Infoseg, embora tal rede só seja para "criminosos". Além disso, não podemos nos esquecer do comércio de s…